As exposições de grandes maisons que vem agitando Paris nos últimos tempos

“Dans L’oeil du Flaneur”- Hermès

“Dans L’oeil du Flaneur”- Hermès

“Volez, Voguez, Voyagez”- Louis Vuitton

“Volez, Voguez, Voyagez”- Louis Vuitton

Manifeste- Lanvin

Manifeste- Lanvin

Fondation Louis Vuitton

Fondation Cartier

Mariana Martins - Mari and the City

Mariana Martins - Mari and the City

Viagens - Europa
25/01/2016 - por Mariana Martins - Mari and the City

Se existe algo que tomou conta do calendário de atividades culturais de Paris no segundo semestre de 2015, foram as exposições memoráveis com as quais as grandes maisons de moda presentearam o público. Digo “presentearam” porque muitas delas foram gratuitas ou oferecidas a preços baixos. O grande empenho dessas empresas em valorizar tais eventos como uma estratégia de branding tem motivo! Em época de crise econômica mundial, a indústria do luxo fica dependente de ganhar cada vez mais a admiração de consumidores dos mais variados tipos de poder aquisitivo para conseguir também vender seus itens de menor valor e não somente seus produtos mais caros como uma forma de complementar sua geração de receitas. Evidentemente, é uma estratégia que acaba encantando os visitantes dessas exposições com um show de qualidade e criatividade!

Em uma estrutura montada bem às margens do Sena, a Hermès garantiu casa cheia em sua “Dans L’oeil du Flaneur” aberta ao público de 18 de setembro a 5 de outubro do ano passado depois de ter gerado grande burburinho na Saatchi Gallery de Londres. Ao longo de 11 salas de exposição, ela mostrou produtos icônicos no meio de cores, imagens e sons que faziam referência à flânerie urbana (que é o hábito de andar sem rumo pelas cidades apreciando sua vida e sua energia). Sendo este hábito bem típico do parisiense, a cidade-luz serviu de inspiração para a exposição que mostrou peças incríveis da marca em meio a um café, uma galeria coberta e detalhes de arquitetura da cidade em um clima meio onírico. A criatividade para criar tais cenários agradou e impressionou o público e a imprensa! Agora, ela viaja para outros lugares do mundo, sendo que está atualmente em Dubai (de 22 janeiro a 7 de fevereiro).

Com sua “Volez, Voguez, Voyagez”, a Louis Vuitton foi outra marca que lançou mão desse tipo de estratégia para atrair todas as atenções em uma exposição gratuita. Em pleno Salon d’Honneur do Grand Palais, ela mostrou um pouco da sua trajetória de 1854 até os dias de hoje. Como a história da empresa está muito ligada ao universo das viagens, pudemos também acompanhar como foi a evolução das formas de deslocamento das pessoas com esse propósito ao longo do tempo usando trem, avião, navio, etc. Seus produtos logicamente foram se adaptando às novas épocas e caindo no gosto do público que preza pela qualidade e pelo renome da marca. Tendo sido inaugurada no dia 4 de dezembro de 2015, a exposição ainda permanece em cartaz até o dia 21 de fevereiro deste ano.

Um pouco menos comentada do que as anteriores, a Manifeste da Lanvin no MEP (Maison Européenne de la Photographie) foi outra atividade cultural do gênero que ocorreu no fim do ano passado. Mostrando uma série de fotografias e peças expostas em manequins, ela tentou transmitir um pouco da emoção que antecede os desfiles da maison. O processo de criação do estilista foi mostrado como um diálogo entre moda e fotografia.

Como uma iniciativa das empresas para fomentar atividades culturais, a Fondation Louis Vuitton e a Fondation Cartier são outros dois lugares de Paris que sempre têm exposições interessantes. Mesmo que não sejam exatamente sobre moda, elas sempre acabam agregando à marca! No primeiro semestre de 2016, já temos duas interessantes mostras de Arte Contemporâea Chinesa na Fondation Louis Vuitton. A primeira chamada Bentu ocorre de 26 de janeiro a 2 de maio com obras de 12 artistas chineses de diferentes gerações; a segunda, por sua vez, acontece de 27 de janeiro a 29 de agosto e vai mostrar uma seleção de obras do acervo da própria Louis Vuitton. De 6 de fevereiro a 5 de junho, a Fondation Cartier que costuma trazer exposições um pouco mais tímidas do que as da Louis Vuitton trará trabalhos do fotógrafo japonês Daido Moriyama e, em paralelo, do colombiano Fernell Franco. Como Paris é um destino que nunca sai de moda, é sempre bom ficar de olho nessas exposições para ver algo diferente na capital francesa!

Fotos: reprodução

Comente esse post!

Deixe seu Comentário