Repita comigo: f oooo d a – s e!

Bruna Fioreti

Bruna Fioreti

Coach de vida e carreira
04/07/2017 - por Bruna Fioreti

Sabe aquela senhorinha que você olha, acha meiga e que remete a bolinho de chuva com café na casa da avó? Então. Quantas vezes a gente topa com uma dessas figuras e se surpreende com uma sinceridade cortante e serena, que destoa da imagem quase infantil que às vezes associamos aos idosos… Essa sinceridade é o velho & bom FODA-SE que ela adotou desde que passou a ver a vida em perspectiva. Ela sabe o que importa de verdade (seus VALORES) e o que não vale (mais) um fio de cabelo branco.

Ah, o foda-se! Esse cara que tem poder de fazer a senhorinha, você e eu sermos o dobro de felizes do que somos hoje. Porque o foda-se liberta. Aleluia. Amém.

Talvez com este texto eu quebre o encanto de quem poderia ver em mim uma lady, mas quem já fez coaching, workshop ou botecagem comigo sabe que sou uma entusiasta do foda-se – assim, indeterminado, genérico, potencialmente imprudente e anarquista. Eu uso cada vez mais e posso atestar transformações consideráveis na minha vida. A começar por este texto. Claro, ter meu próprio site tem dessas: posso escrever foda-se quantas vezes quiser e ainda fazer um arquivo para você baixar e colocar na tela do computador, aderindo à “fodasemania” que tomou conta de mim desde que conheci o coaching.

Ele vale para as pessoas que você jura que julgam. Vão te julgar? Vão. Mas… já entendeu. Aliás, o melhor emprego do foda-se está relacionado aos casos de julgamento. O que você faz, o que acha que vão fazer de você e o que estão, de fato, fazendo de você. Ele é libertador porque dá o aval que faltava para você ousar, fazer o que quer “apesar de”, para seguir seus instintos, sua intuição, sua arte, sua vida! Meus coachees adotam e relatam ótimos resultados com seu uso sistemático.

Chega a ser terapêutico, especialmente quando você se sente amarrado por muito tempo em uma mentira (que pode ser o seu lifestyle, seu trabalho, seu namoro, sua postura, seu estilo, quaisquer escolhas). Pequenas mentiras têm um foda-se esperando por elas, com sorriso de canto de boca, todo faceiro, esfregando as mãos.

Ele é seu melhor amigo, porque ele é fiel a uma só pessoa: você.
Mas vão me achar imbecil! Foda-se.
Dirão que eu pirei! Foda-se.
Todo mundo vai olhar! Foda-se.
Mas o que meus amigos (pais, filhos etc) vão pensar?! Foda-se.
E se eu tiver que voltar atrás? Foda-se.
Eu ainda não terminei o curso (treinei, estudei…)! Foda-se.
Ponha sua dúvida julgatória aqui! Foda-se.

É a voz da coragem. Só não confundir com maltratar os outros ou jogar tudo para o alto sem um plano – a menos que este seja o plano. “Loucura” difere de coragem porque a segunda envolve planejamento, foco e propósito. E, sim, estamos falando de pessoas funcionais, que não precisam de tratamento psiquiátrico e tal.
Se for seu caso, bem-vindo ao universo do “vou mesmo assim”. E foda-se o resto!

1 comentários

  1. Keiichi disse:

    Muito bom Bruna, obrigado por compartilhar sua experiência. Um “foda-se” pode ser bastante libertador.

Deixe seu Comentário