Gosta de livros? Vem comigo!

Estação Onze, Emily St. John Mandel
A atriz mirim Kirsten Raymonde tinha apenas 8 anos quando presenciou a morte do ator Arthur Leander, vítima de um ataque cardíaco durante uma apresentação de Rei Lear. Assim que percebeu o mau súbito de Arthur, o ex-paparazzo e então paramédico, Jeevan Chaudhary, invadiu o palco a fim de reanimá-lo, mas não obteve sucesso. Naquela mesma noite, a Gripe da Geórgia se espalhou com velocidade e letalidade jamais vistas, levando o mundo a um estado de pandemia sem precedentes. Em um cenário completamente destruído, os poucos sobreviventes do que passou a ser chamado de Calamidade tiveram que aprender a viver em condições precárias. Vinte anos depois, Kirsten é  uma das integrantes da Sinfonia Itinerante, que interpreta as obras de Shakespeare em pequenas comunidades de sobreviventes. Durante uma das viagens, o grupo conhece um homem que se autointitula O Profeta e que cava sepulturas para quem decide deixar sua cidade. E, então, o cenário que já era inóspito os torna ainda mais vulneráveis. Leia aqui a resenha completa!

O Leitor do Trem das 6h27, Jean-Paul Didierlaurent
Guylain Vignolles leva uma vida solitária e trabalha como operador de uma máquina que destrói encalhes de livros, a que ele chama de Coisa. Por ser um apreciador do hábito da leitura, Guylain detesta seu emprego e, na tentativa de se redimir, salva algumas páginas da Coisa e as lê diariamente para os passageiros do trem das 6h27. Certo dia, Guylain encontra um pen drive repleto de textos de uma escritora desconhecida e, ao lê-los, se afeiçoa à autora e personagem principal desta história. Leia aqui a resenha completa!

A Menina que Roubava Livros, Markus Zusak
Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, Liesel Meminger, então com 10 anos, viu o irmão mais novo morrer e foi separada da mãe em plena Alemanha nazista. Quando chegou à rua Himmel, em Molching, uma pequena cidade perto de Munique, para morar com Hans e Rosa Hubermann, a menina não sabia ler, mas carregava consigo seu primeiro livro roubado, O Manual do Coveiro. Ela também ainda não sabia que, na rua Himmel, em meio à pobreza, aos pesadelos e a todas as tristezas trazidas pela guerra, aprenderia muito mais do que apenas decifrar as palavras. E quem conta a vida de Liesel Meminger é ninguém menos do que a Morte. Leia aqui a resenha completa!

Nadia Tamanaha

Nadia Tamanaha

Literatura
14/10/2015 - por Nadia Tamanaha

Nem sempre fui apaixonada por literatura. Até os 17 anos, detestava ler e raramente terminava as leituras obrigatórias da escola. Tudo mudou quando, encantada pela capa, comprei O Diário da Princesa, de Meg Cabot, e devorei vários volumes da série em poucos dias. Em seguida, vieram Os Delírios de Consumo de Becky Bloom, de Sophie Kinsella, e O Diário de Bridget Jones, de Helen Fielding, e o resultado foi: eu nunca mais parei de ler!

Desde então, teve anos em que li mais e outros em que li menos. Mas uma coisa é fato: minha paixão pela literatura apenas cresceu e eu evoluí muito como leitora, expandindo meus horizontes para gêneros e autores para os quais, antes, eu nunca daria uma chance. Como jornalista, eu não poderia deixar de compartilhar esse vício com o mundo e, por isso, criei o blog Além do Livro, que escrevo há quase 2 anos, e também conto tudo e mais um pouco sobre minhas leituras no Instagram.

E, a partir de hoje, vou compartilhar com vocês, aqui no We Pick, muitas e muitas dicas de livros incríveis! E para começar a nossa jornada, escolhi três livros maravilhosos e que, apesar de serem bem diferentes entre si, têm uma coisa em comum: celebram a importância das palavras e das histórias <3 Para saber mais sobre eles, é só navegar na galeria! Espero que gostem 🙂

 

Comente esse post!

Deixe seu Comentário