Girl Power nos livros: conheça personagens inspiradoras

Eugenia “Skeeter” Phelan, A Resposta, Kathryn Stockett
Eugenia Phelan, ou apenas Skeeter, já seria uma heroína por ser uma mulher branca e de família abastada disposta a lutar contra a segregação racial em plena Jackson, no Mississippi, de 1962. No entanto, o que torna a personagem ainda mais inspiradora é a força e a perseverança que ela demonstra para realizar os próprios sonhos – ser jornalista e ter uma carreira bem-sucedida -, que iam totalmente contra as convenções sociais da época. Skeeter é ambiciosa, mas, acima de tudo, é generosa, sensível e carrega em si a inquietude que é necessária para mudar o mundo – nem que seja apenas um pouquinho. Para ler mais sobre A Resposta, clique aqui!

Kate Reddy, Não sei como ela consegue, Allison Pearson
Se você é mãe e workaholic, com certeza irá se identificar com Kate Reddy. Aos 35 anos, ela é casada, tem dois filhos e foi primeira mulher a se tornar gerente de fundos de investimentos em sua empresa. A carreira não poderia estar melhor, no entanto, a agenda de trabalho de Kate é completamente incompatível com a rotina de sua família, o que faz com que ela se cobre cada vez mais, se questione e, por fim, se culpe. Acredito que os dilemas da personagem sejam os mesmos de muitas mulheres modernas e independentes, que desejam ter um carreira de sucesso, mas encontram dificuldades em conciliá-la com o sonho de ser mãe e formar uma família. Leia mais sobre Não sei como ela consegue aqui!

Mia Thermopolis, O Diário da Princesa, Meg Cabot
Aos 14 anos, Mia Thermopolis descobriu ser a princesa herdeira do trono de um pequeno país chamado Genovia. Mas, em vez de deixar que o glamour subisse à cabeça, Mia viu a realeza como uma oportunidade de chamar a atenção para causas nobres e que merecem ser defendidas. Ao longo da série de 11 livros, o leitor acompanha o crescimento de Mia (no último, O Casamento da Princesa, ela já tem 26 anos), que precisa lidar com questões que a maioria de nós jamais terá – como o peso de herdar o trono -, mas também passa pelos mesmos dilemas e angústias que toda menina e toda mulher. Leia mais sobre O Diário da Princesa aqui!

Frankie Landau-Banks, O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks, E. Lockhart
Frankie é uma adolescente dona de curvas esculturais e namorada do garoto mais popular do colégio – o que muitas meninas gostariam de ter, certo? Sim. No entanto, Frankie quer mais e, quando é proibida de fazer parte da Leal Ordem dos Bassês, basicamente por ser uma garota, ela se revolta e resolve quebrar todas as regras em relação ao comportamento que a sociedade espera das mulheres. Mais do que uma obra feminista, O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks é uma história ser fiel a si mesma e nunca deixar que os outros lhe digam o que fazer ou não. Leia mais sobre o livro aqui!

Alice Howland, Para Sempre Alice, Lisa Genova
Aos 50 anos, Alice Howland é casada, mãe de três filhos e dona de uma carreira muito bem-sucedida como professora de psicologia cognitiva em Harvard. No entanto, quando descobre sofrer da doença de Alzheimer de instalação precoce, Alice sabe que sua vida estruturada e repleta de realizações está em risco e luta com todas as forças para não deixar de ser quem é, apesar de todos os transtornos que a condição irá lhe causar. Para Sempre Alice é um livro triste, sim, mas é também uma história sobre esperança e superação. Alice é uma mulher extremamente forte, real e que serve de exemplo e inspiração para nós, mulheres de verdade, em muitos momentos da nossa vida. Leia mais sobre o livro aqui!

Nadia Tamanaha

Nadia Tamanaha

Literatura
03/11/2015 - por Nadia Tamanaha

A literatura é repleta de heróis e heroínas, que sacrificam tudo e mais pouco em nome de um bem maior. A gente adora esses personagens, já que eles nos transmitem força e esperança, além de, claro, ser uma fonte de inspiração. No entanto, hoje, quero falar sobre as “heroínas reais” que encontramos nos livros, ou seja, as mulheres que poderiam existir de verdade e que lidam com questões com que nós lidamos em nossas realidades. Afinal, existe algo mais inspirador do que se sentir compreendida e perceber que sempre há uma saída?

Veja 5 livros que quem ama Paris precisa ler
No clima de SPFW: confira leituras para quem ama moda

Na minha seleção, tem de tudo um pouco: de mãe workaholic a adolescente transgressora! E, como não poderia ser diferente, as histórias que as nossas heroínas protagonizam são tão inspiradoras quanto elas, algumas mais divertidas, outras que nos fazem refletir um pouco mais sobre a vida e o que realmente importa. Para conhecê-las, navegue pela galeria e inspire-se!

Comente esse post!

Deixe seu Comentário