Eu quero ser Mulherzinha….

Maria Augusta-Blog Belicosa

Maria Augusta-Blog Belicosa

Comportamento
03/08/2016 - por Maria Augusta-Blog Belicosa

Há uma geração de mulheres superpoderosas que foi criada para ser forte. E isso colocou os homens numa posição de oponente e não de amante. Assim a ideia de ser independente como as quatro divas do “Sexy in the city” fez as mulheres dispensarem o cortejo e partirem para o ataque, mas será que isso ainda é legal?

Ações como abrir a porta para você sair do carro, fazer sexo em posições convencionais, e deixar ele pagar a conta do restaurante passaram a ser over.

Queríamos igualdade em tudo. E com o tempo percebemos que isso se tornou um problema. E deixamos claro para o sexo oposto que competir é mais interessante do que amar.

Acostumamos o outro que sexo casual é normal, que relacionamentos não são para a vida toda, e que romances como os escritos por Nicolas Sparks não são possíveis.

Passamos a maior parte do tempo numa competição com o outro para ver quem tem o melhor cargo, quem ganha mais, e se o apartamento for dela… Meu Amoorrrr…. Você será lembrado disso a cada discussão.

Esquecemos que ser mais mulherzinha é legal. Afinal, somente é aceito pela sociedade que chorar sem porquê, se sentir protegida nos braços do amado, e ficar de TPM, é coisa de mulher, certo?

Ocultamos, de fato, que o amor é brega. E que às vezes é legal se jogar e se expor por loucuras de amor, só para ver o outro feliz.

Deixamos de apreciar a companhia do outro por nada, o beijo de boa noite e a certeza de que devemos e podemos ser mais doces e frágeis apenas porque somos mulheres.

O beijo roubado, o bilhete deixado no casaco dele, e dizer eu te amo são coisas que não acontecem mais porque as mulheres decidiram ser fortes e poderosas.

Estamos com medo de assumir que erramos e que precisamos de homens dispostos a encarrar relacionamento com mulheres independentes e totalmente mulherzinhas, que precisam ser conquistadas.

Gerações de mulheres aprenderam que, para ser fortes, deveriam dispensar o cortejo do outro e colocá-lo na condição de uma igualdade que não existe mais.

Quando alguém te disser que isso ou aquilo não são “coisa para mulher”, não se irrite, mas saiba que tem coisas que não são feitas para o sexo feminino da mesma forma que para o sexo másculo. Lembre-se! Gerar um bebê, chorar sem porquê, e ter sensibilidade para amar o outro mais que a si mesmo, somente as mulheres são capazes, e nem por isso os homens se sentem inferiores, porque não estão em condição de igualdade conosco.

Ser mulherzinha é querer ser forte, sim, mas sem aquele velho clichê de que para isso devemos dividir a conta do restaurante todas as vezes… Pense Nisso!

6 comentários

  1. Diovana disse:

    Bom, não concordo com nadinha do texto e creio que, nosso mundo não está assim tão “bruto”…

  2. Diovana disse:

    As mulheres estão livres pra serem o que bem entender, mulherzinha, mulherzona, meio termo. Pago a conta inteira muitas vezes, assim como meu namorado, é divido pra quem quiser e puder na hora, não sou nenhuma bruta mas também nenhuma mulherzinha indefesa! E tenho certeza absoluta que homens choram sem motivo e amam os outros mais do que a si mesmo, só não são todos, assim como não são todas que fazem o mesmo.

  3. Nossa, amei o post! Realmente essa questão da competição, de se mostrar doce e frágil está sendo esquecida e às vezes é chato ficar bancando a super poderosa o tempo todo. E sim, ” … Esquecemos que ser mais mulherzinha é legal… chorar sem porquê, se sentir protegida nos braços do amado, … ” é bom e normal!
    Lendo esse texto e refletindo percebi o quanto eu me encaixava nele e acabei lembrando de uma situação que aconteceu a pouco tempo, onde eu “perdi” a oportunidade de conhecer uma pessoal aparentemente legal por passar essa imagem de durona e ele acabou se intimidando…
    Bjss…

  4. Izabella N disse:

    Só posso dizer uma coisa em relação a este texto MARAVILHOSO, hoje em dia tudo gera polemica e acredito que nós como mulher nós tempos atuais e meio que considerado um absurdo não ser feminista. Saudades do poder ser quem você quiser.

  5. Renata disse:

    Discordo de tudo. O machismo afeta os dois lados. O homem também pode ser doce e frágil, assim como a mulher pode ser forte e poderosa. A beleza do feminismo é podermos ser quem quisermos sem os esteriótipos dos sexos.

  6. Babii disse:

    Mas dá pra ser mulherzinha, se jogar no amor, e mesmo assim não deixar de ser forte. Eu definitivamente não tenho medo de dizer eu te amo e me entregar hahahah. Eu fui a primeira a dizer a frase assustadora (eu te amo) no meu namoro, antes mesmo de virar um namoro hahahah. Fiz isso porque tinha certeza, e vi a certeza nos olhos dele também. Mas considero essa uma atitude muito forte, porque vamos concordar, que eu saltei sem para-quedas, e se ele não retribuisse? E se me achasse carente demais? Mas ainda bem que esse não foi o caso hahahah. Mas contei essa história só pra dizer que é possível ser forte sendo mulherzinha sim, ser corajosa sem deixar de ser sensível 🙂

Deixe seu Comentário