Agenda de cultura de maio: 4 exposições imperdíveis

O bambu é o protagonista da exposição de estreia da Japan House – novo centro cultural criado pelo governo japonês para difundir a cultura do país com o resto do mundo. Logo de cara os visitantes se surpreendem com a mega instalação Conexão 2017 (foto), de Chikuunsai IV Tanabe, que liga o piso ao teto e é formada por 5 mil tiras de bambu tigre (torachiku) trançadas delicadamente, lembrando caules contorcidos. Simbolicamente cada tira remete a uma vida que, ao cruzar-se com outras, cria formas surpreendentes. A gramínea de aspecto fibroso também está presente em cestarias, esculturas, itens usados na tradicional cerimônia do chá, nos equipamentos de artes marciais, na música e até nos filmes, caso do O Conto do Cortador de Bambu . Japan House: Avenida Paulista, 52, São Paulo. Até 9 de julho

Aos 24 anos, o francês Henri Cartier-Bresson adquiriu sua primeira câmera Leica na cidade de Marselha, da qual nunca mais se separou. O pequeno objeto se tornou uma extensão dos seus olhos e captou belissímas imagens de seus 3 anos de andanças (de 1932-1935) pela Espanha, México, França e Itália apresentadas na mostra Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias. Galeria de Fotos do
Centro Cultural Fiesp: 
Avenida Paulista, 1.313, São Paulo. Até 25 de junho

A exposição Construções Sensíveis: a experiência geométrica latino-americana na coleção Ella Fontanals-Cisneros reúne 124 obras de 63 artistas de países latino-americanos (entre Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Cuba, México e Venezuela). Os abstratos brasileiros estão bem representados com os Bichos e Tteia, de Lygia Clark, o Metaesquema, de Hélio Oiticica, e as fotografias de Thomaz Farkas e Geraldo de Barros. Destaque também para os trabalhos do argentino Julio Le Parc, um dos maiores nomes da Op Art e que já emprestou seus caleidoscópios multicoloridos para uma coleção cápsula de lenços da Hermès, no ano passado.Centro Cultural Fiesp: Avenida Paulista, 1.313, São Paulo. Até 18 de junho

Para comemorar os 70 anos do traje icônico, o Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro (CCBB Rio) inaugura a mostra “Yes, Nós Temos Bíquini. Com curadoria da jornalista Lilian Pacce e olhar bem brasileiro, traz cerca de 120 obras, entre icônicos looks de moda praia, fotos, vídeos, pinturas, esculturas e instalações. Do pesado traje de banho do século 19 às novas modelagens do século 21, a expo ressalta as mudanças de comportamento e conquistas femininas nesse período, os padrões de beleza e sua relação com a arte. Destaque para a criação inédita de Nelson Leirner e obras de artistas como Beatriz Milhazes, Leda Catunda e Rochelle Costi. Entre os fotógrafos estão German Lorca, Thomaz Farkas, Bob Wolfenson, Cassio Vasconcellos, Claudio Edinger e Jacques Dequeker, além de trabalhos audiovisuais como os de Katia Maciel e Janaina Tschäpe. Performances, debates e ciclo de cinema completam a programação. CCBB Rio de Janeiro: Rua Primeiro de Março, 66, Rio de Janeiro. Até 10 de julho

19/05/2017 - por We Pick

Separamos 4 exposições imperdíveis no eixo São Paulo – Rio que devem entrar no seu roteiro cultural este mês.

Comente esse post!

Deixe seu Comentário

Propaganda: Skazi
Propaganda: Skazi
Propaganda: Banner Venus
Propaganda: Banner Venus